3.ª Edição de «A Cidade da Diversidade» da CERCI
«Era uma vez» numa tarde cheia de emoções
06-12-2018 | por António Gomes Costa
A iniciativa pretende ser um marco na cidade, desmistificando e valorizando a pessoa com deficiência. A 3.ª edição do espetáculo «A Cidade da Diversidade» teve este ano como tema «Era uma Vez» e voltou a emocionar todos aqueles que, na Casa da Criatividade, ouviram histórias, que podiam ser reais ou de pura fantasia.
Estatísticas

157 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Ninguém ficou indiferente à mensagem e muito menos ao talento dos actores. O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência foi assinalado em S. João da Madeira com uma iniciativa que envolveu uma vez mais a cidade.
Tratou-se da 3.ª edição do espetáculo «A Cidade da Diversidade», que este ano teve como tema «Era uma Vez», apresentado no passado domingo, dia 2, na Casa da Criatividade, apesar do dia se assinalar um dia depois.
A iniciativa juntou CERCI - Cooperativa para a Educação e a Reabilitação de Cidadão com Incapacidade – e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, em parceria com dois agrupamentos (Serafim Leite e Oliveira Júnior) e diversas instituições sanjoanenses (CEI, Coro Sénior da Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira, Projeto Total Gym Clube A4 e Associação de Solidariedade Social de Professores. “Queríamos criar um marco para a cidade, onde o conceito de deficiência é desmistificado, onde se promove a valorização da diferença e onde se acolhe a diversidade”, reforçou Sandra Oliveira, da organização.
Neste espetáculo, todos se uniram a esta “corrente de entusiasmo e promoção da inclusão”, num evento onde não faltou a diversidade de idades, diversidade de entidades, diversidade de tipos de apresentação de dança, canto, expressão, teatro, música e também a multiplicidade de personalidades. «Era uma Vez» contou a histórias “de mensagens bem positivas”, que podiam ser bem reais ou de pura fantasia.
Em jeito de balanço, Sandra Oliveira dá conta que “todas as edições têm sido sempre positivas” e esta não foi exceção. “Há pessoas que, com bastante antecedência, procuram saber quando é o espetáculo e quando podem adquirir bilhetes. Ou seja, já temos um público fiel”. Para esta responsável, “qualquer acontecimento do dia-a-dia pode tornar-se numa história. O importante era que as diversas atuações transmitissem mensagens positivas, incluindo a promoção da inclusão das Pessoas com Deficiências e Incapacidades”, enfatiza.
Sandra Oliveira assume que a concretização “deste sonho” só foi possível com o apoio incansável, disponibilidade constante, muitas horas de trabalho extra e perseverança de todos os intervenientes. A psicóloga da instituição reforça que se tratou de um espetáculo de emoções. “Emocionam-se as pessoas do público, emocionam-se as pessoas que estão nos bastidores e emocionam-se os artistas. São dias muito intensos emocionalmente, desde os ensaios até ao dia do espetáculo”, assume.
A maior sala de espetáculos de S. João da Madeira foi, assim, pequena para acolher as muitas pessoas que aceitaram o desafio da organização.
A receita do espectáculo reverteu a favor da CERCI sanjoanense.










 

Comentar

Anónimo